Antigo cemitério de pretos novos, Largo de Santa Rita ganha projeto de urbanização

| 25/05/2021

As memórias do antigo cemitério dos pretos novos do Largo de Santa Rita, situado abaixo da Linha 3 do Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT), serão preservadas e homenageadas. O VLT Carioca, junto à Prefeitura do Rio, à Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto (Cdurp) e a Companhia de Engenharia de Tráfego do Rio de Janeiro (CET-Rio) deram início a um projeto de urbanização no Largo de Santa Rita. Apesar de alterações definitivas no tráfego e no estacionamento, a circulação do VLT não será alterada. A previsão é que as obras sejam finalizadas até o mês de outubro.

Será fechado em definitivo o acesso de veículos da rua Mayrink Veiga para o largo e a Rua Visconde de Inhaúma. A área terá apenas acesso pela Rua Alcântara Machado, sem saída. A Mayrink Veiga passará também a ter restrição de estacionamento, com acesso limitado para carga e descarga.
Durante as obras do último trecho do VLT foi descoberto um sítio arqueológico do século XVIII onde, segundo estudiosos, existiu um cemitério. Ali, teria sido o primeiro lugar do Rio de Janeiro com sepultamento de africanos recém-chegados ao Brasil, intitulados pretos novos.
O projeto conta com marcações e totens com informações históricas da área. Ao longo do percurso, estações do VLT já são batizadas com nomes que homenageiam à História Africana: Camerino-Rosas Negras, Cristiano Ottoni-Pequena África e Santa Rita-Pretos Novos.
A proposta surgiu a partir da conversa entre representantes de movimentos negros, Iphan - Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional - e sociedade civil, ainda durante o período de pesquisa na região.

Tags: