Gamboa de Portos Abertos em casa: festival começa na próxima segunda com participação de compositoras brasileiras

Social, Cultural | 16/03/2021

O Gamboa de Portos Abertos ganha uma 4ª edição a partir da próxima segunda (22). Como na edição anterior, o festival acontece dentro de casa. Numa parceria com diversos artistas, o evento aposta numa visão otimista de mudança, apresentando a cultura como principal agente transformador. 

Desta vez a edição tem como tema a fotografia. Nomes como Maurício Hora, fundador da “Casa Amarela” no bairro da Providência e Augusto Malta que registrou a Zona Portuária nas primeiras décadas do século XX serão homenageados. 

A programação é on-line e gratuita, com transmissões via Instagram, Facebook e YouTube. Além das apresentações, o evento vai usar a fotografia para contar a história de moradores da Gamboa. As cantoras Rita Benneditto, Dorina e Nilze Carvalho também estão entre os convidados da programação.

“Nesse momento difícil de isolamento, através das redes sociais queremos espalhar arte, música, teatro, dança pelos quatro cantos do nosso bairro da zona portuária, seguindo para os lares do Rio de Janeiro e Brasil afora “-, comenta Paulo Pelá, designer e um dos organizadores do festival.

 www.gamboadeportosabertos.com.br


Programação:

Dia 22/3, segunda-feira

  •         11h – Abertura do Festival: Roda de Conversa com o fotógrafo Maurício Hora e Cá Entre Clicks
  •         15h – Oficina de “Histórias em Cordel” – com Edmilson Santini
  •         17h – Marisa Silva – live: “Entre Linhas, Histórias e Memórias: um olhar sobre o olhar do Fotógrafo Maurício Hora”
  •         19h – Casa Gamboa – live: bate-papo com os fotógrafos: Zô Guimarães, Luiz Frota e Raoni N Dias.  Tema: Comunidades.
  •         20h – SuperUber - Expo 3D SuperVix

Em parceria com a SuperUber será realizado a exposição virtual do fotógrafo Maurício Hora na plataforma de 360 graus SuperViz. O público também poderá fazer uma visitação virtual nas casas integrantes do festival, como Atelier FM, Cia. de Mystérios e Novidades, Galpão Gamboa entre outros.

 
23/3, terça-feira

  •         15h – Oficina de “Contação de Histórias”  - com Carlos Alarcão
  •         18h – Galeria Metara – apresentação de vídeos
  •         19h – Casa Gamboa – live: “Histórias da Fotografia” com o Fotógrafo Marcos Hermes e a experiência de fotografar os mais admirados artistas do Brasil e do mundo. Quase 700 capas de discos e  milhares de shows.

 

Dia 24/3, quarta-feira

  •         15h - Oficina “Brincando de Fazer Música” – com Cacau Amaral
  •         18h - Sebastião Carlos dos Santos/ conhecido como “Tião Santos”, o protagonista do documentário “Lixo Extraordinário”  – Roda de Conversa sobre o movimento dos catadores: “Eu sou catador”
  •         19h – Casa da Harmonia – vídeo
  •         20h – Marcelo Cavalcanti e Maurício Hora: “Os Bastidores do Projeto Augusto Malta Revival”

 

25/3, quinta-feira

  •         15h - Oficina “Dança nas Alturas” (Perna de Pau) – Cia. de Mystérios e Novidades
  •         16h – Cá entre Clicks – live de premiação
  •         18h – Mauricio Horta – depoimento do fotógrafo, fundador da “Casa Amarela” no bairro da Providência e do espaço “Zona Imaginária” na Gamboa.
  •         19h – Casa do Propósito – live
  •         20h – Casa da Tia Ciata – live:  “Cultura arte e Educação: experiência negras e periféricas com retratos” com mestre Mauricio de Recife – Baiana Ricave

 

26/3, sexta-feira

  •         15h - Oficina “A Roda dos Brincantes Festeiros” – com Juliana Manhães
  •         17h – Galpão Gamboa – live
  •         18h – Atelier FM – vídeo: “Luz Vindo”
  •         19h – Casa de Mystérios – vídeo: “Memórias, Sonhos e Revoluções. 40 anos da Grande Companhia Brasileira de Mystérios e Novidades
  •         20h – Bar Delas – Live “Memórias da Gamboa” (com Kriss e Cosme Felippsen)

 

27/3, sábado

  •         12h – Casa da Frente – live “Viver de café”
  •         15h – Oficina  “Fotografia” – com Maurício Hora
  •         17h – Mississipi – live
  •         18h – Armazém Cultural das Artes – live

A Roda de Samba do Armazém do Bem. Lu Fogaça e Angélica de Paula convidam Vera de Jesus - neta da Clementina de Jesus e Selma Candeia - filha      do Candeia, para um show único, inusitado repleto de histórias e troca de saberes. A Roda de Samba Armazém do Bem foi certificada pela Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro em 6 de novembro de 2020 com o calendário quinzenal durante o ano de 2021 para acontecer no bairro do Santo Cristo, no Armazém Cultural das Artes. O Armazém é um dos espaços criativos que fazem parte do festival.

  •         20h - Palestra: com os fotógrafos Maurício Hora, Roberto Ripper e Julia Andrade, mediação de Noelia (Cá Entre Clicks)

 
28/3, domingo

  •         15h – live “Onça Food” – com Aline Onça, que ensina a fazer “torta de tempero”
  •         16h – Harmonia Enlouquece

O Grupo Harmonia Enlouquece, é formado por pacientes, funcionários e voluntários do Centro Psiquiátrico Rio de Janeiro (CPRJ). O nascimento da banda surgiu da ideia de criar um espaço para que os pacientes pudessem ter contato com a música e se expressar. A banda já tocou em lugares como Buenos Aires, Salvador, São Paulo, Santos, Florianópolis e Belo Horizonte e já esteve na novela Caminho das Índias, da TV Globo. Foi fundada em 2001

  •         17h – Dorina, acompanhada da “Roda de Samba Suburbanistas”, com convidadas especiais: Nilze Carvalho, Lazir Sinval, do Jongo da Serrinha, e Bia Aparecida. No repertório músicas de Jovelina Pérola Negra, Rosinha de Valença e Dona Ivone Lara, entre outros.
  •         18h – Sexteto Sucupira

O Sexteto Sucupira é formado por músicos comprometidos com a tradição brasileira, mas focados na renovação que faz nossos ouvidos reconhecerem que é possível inventar e reinventar mesmo quando todas as fontes parecem esgotadas. É um grupo que vem se firmando por sua musicalidade universal que atrai jovens de todas as idades e classes sociais.

Encerramento:

  •         19h – Rita Benneditto - show “Tecnomacumba” que em 2021 comemora 18 anos em cartaz. Uma homenagem à Pequena África como é conhecido o bairro carioca da Gamboa.

Texto: Pedro Dias | Foto: Divulgação