Quem vem primeiro: a demanda ou os serviços?

Cultural | 12/03/2021

Com a ocupação dos prédios do Porto Maravilha começam a surgir novos serviços na região. A taxa de vacância dos imóveis de alto padrão na área caiu nos últimos anos e hoje está em 30%, pouco abaixo da média da cidade. Esta semana foi a vez do Aqwa Corporate ganhar novo inquilino no térreo – o Café Sterna.

A marca paulista especializada em cafés especiais abre a segunda filial carioca no Porto. A primeira fica no RB1, na Praça Mauá. A ideia era abrir em 2020, mas a pandemia atrasou os planos dos sócios Soraya Celeman e Salomão Guerra. Ela é carioca e ele de Vitória, ES. Não aguentaram esperar mais e abriram agora em março com a volta gradual de empresas do Home Office para o trabalho no escritório.
Sempre foi um dilema da revitalização da região: as empresas ocupam os prédios e os serviços vêm? Ou só ocupariam os prédios após a instalação dos serviços primeiro? A resposta foi dada na prática. Além do exemplo desta semana, após ocupação dos dois edifícios na esquina das Avenidas Venezuela e Barão de Tefé, onde fica a sede da L’Oréal, restaurantes também começaram a abrir as portas no entorno.
O Aqwa Corporate está 85% locado e já no mês que vem mais de 1800 funcionários da Icatu Seguros chegam à nova sede da empresa. Na sequência chegam mais mil pessoas com a transferência da sede da Enel para o prédio.
Movimento no Porto Maravilha
Entre os objetivos da Operação Urbana Porto Maravilha está justamente a atração de pessoas para a região portuária. O presidente da Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto do Rio de Janeiro (Cdurp), Gustavo Guerrante, comemora o momento de abertura de negócios na área: “Para nós é essencial esse movimento. Vibramos a cada empreendimento novo que chega no porto, acreditando no projeto e coroando a instalação destes grandes edifícios aqui”. 

Texto e foto: Bruno Bartholini