Cdurp muda operadora dos túneis do Porto Maravilha

Mobilidade | 19/06/2020



O moderno centro de controle operacional dos túneis Marcello Alencar e Rio450 está sob nova direção,  com a SD Engenharia à frente. Em 5 de junho, a Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto do Rio de Janeiro (Cdurp) iniciou processo de transição da operação, antes sob a responsabilidade da Concessionária Porto Novo. A Cdurp e a Companhia de Engenharia de Tráfego do Rio de Janeiro (CET-Rio) coordenaram vistoria do trabalho em 10 de junho, quando os túneis foram fechados em horários pontuais para testes simulados para protocolos de emergência.
A mudança de operação foi necessária porque acordo assinado em setembro de 2019 previa que o contrato com a Porto Novo fosse renovado em maio, mas isso não aconteceu por falta de consenso em relação a custos. A concessionária não aceitou valor liberado pelo Fundo de Investimento Imobiliário Porto Maravilha (FIIPM), responsável pelo pagamento da operação urbana consorciada. Nos últimos nove meses, o FIIPM pagava mensalmente R$ 4,3 milhões por escopo maior de serviços que incluía a manutenção e operação dos túneis, além de sinalização vertical e horizontal em toda a área do Porto Maravilha. Na renegociação, exclusivamente para a operação dos túneis Marcello Alencar e Rio450, o fundo administrado pela Caixa Econômica Federal ofereceu R$ 2 milhões mensais à Porto Novo, que recusou a oferta. 
Com o prazo chegando ao limite, para substituir a Porto Novo, a Cdurp contratou a SD Engenharia por período de até seis meses (em acordo com a Lei Federal nº 13.303) em processo em que oito empresas foram convidadas a apresentar ofertas. Quatro demonstraram interesse e duas fizeram propostas, sendo escolhida a que apresentou menor preço observando as condições técnicas exigidas. A SD Engenharia ganhou o certame com oferta de R$ 1,7 milhão por mês. Uma nova licitação em preparação deverá contratar empresa para operar o túnel em condição definitiva.
Rotina de fechamento para manutenção continuará como de costume
No Túnel Marcello Alencar, a galeria mar, pista sentido Zona Norte, fecha todas as segundas e terças-feiras. A galeria continente, pista sentido Zona Sul, fecha todas as quintas e sextas-feiras. As interdições são sempre das 23h às 5h do dia seguinte.
O Túnel Rio450 fecha em toda a sua extensão às quartas-feiras, também das 23h às 5h do dia seguinte.
A nova operadora dos túneis
Fundada em 2002, a SD Engenharia Ltda., atua nas áreas Ambiental, Agrônoma, Civil, Elétrica, Transportes, Automação e Mecânica. Sua experiência abrange trabalhos para o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) na Administração Hidroviária da Amazônia Oriental (Ahimor), com operação e manutenção das Eclusas e Canal de Navegação da Hidrelétrica de Tucuruí. No Rio, presta serviços de engenharia para a Prefeitura do Rio, para a Fundação Instituto das Águas do Município nas obras do Rio Maracanã. Também teve contratos com a DHL Logistics (Brazil) Ltda, Infraero, Funasa e as prefeituras municipais de Itaboraí, Areal e Maricá.
Túnel Prefeito Marcello Alencar
Parte da nova Via Expressa que substituiu o Elevado da Perimetral, o Túnel Prefeito Marcello Alencar liga a Praça Marechal Âncora ao bairro do Santo Cristo atingindo uma profundidade de 43 metros abaixo do nível do mar. Cada galeria tem 3.370 m de extensão.
O túnel segue normas internacionais de segurança. Tem duas baias de refúgio em cada sentido e nove portas de emergência entre as galerias com distância aproximada de 300 metros entre elas - duas voltadas também ao acesso de veículos em atendimentos de emergências. A operação de cada galeria dispõe de oito conjuntos balizadores de faixa (equipamento conhecido como seta-xis) que indicam a condição de tráfego de cada faixa, 186 caixas de som para megafonia, 51 telefones de emergência (call box), seis Painéis de Mensagens Variáveis (PMVs) e 22 jato-ventiladores divididos em 11 pares 100% reversíveis. Sensores de gases CO e CO², detecção de calor e opacímetros também fazem parte dos equipamentos da via que tem ainda 1.430 luminárias monitoradas por meio de telegestão.
Túnel Rio 450

Inaugurado no aniversário de 450 anos da cidade do Rio de Janeiro, foi primeiro túnel construído abaixo do nível do mar, atingindo 40 metros em seu trecho mais profundo. Integra a Via Binário do Porto com uma galeria, com 1.480m, como ligação da Av. Presidente Vargas com o Santo Cristo.
Entre seus equipamentos para operação estão o sistema de drenagem de águas pluviais composto por dutos, cinco bombas e cisterna com capacidade útil para armazenar 370 mil litros de água. Trinta e duas câmeras de segurança com tecnologia DAI (Detecção Automática de Incidentes) monitoram a via 24 horas por dia e 12 jato-ventiladores do sistema de exaustão estão sempre prontos para escoamento de partículas ou fumaça.