Primeiro trem do VLT chega ao Rio

Obras, Mobilidade | 06/07/2015

  • Titulo da Imagem

    Prefeitura apresenta primeiro trem do VLT Carioca

  • Titulo da Imagem

    Prefeitura apresenta primeiro trem do VLT Carioca

  • Titulo da Imagem

    Prefeitura apresenta primeiro trem do VLT Carioca

  • Titulo da Imagem

    Prefeitura apresenta primeiro trem do VLT Carioca

  • Titulo da Imagem

    Prefeitura apresenta primeiro trem do VLT Carioca

  • Titulo da Imagem

    Prefeitura apresenta primeiro trem do VLT Carioca

  • Titulo da Imagem

    Prefeitura apresenta primeiro trem do VLT Carioca

  • Titulo da Imagem

    Prefeitura apresenta primeiro trem do VLT Carioca

Prefeito Eduardo Paes apresenta o pioneiro dos 32 veículos leves sobre trilhos da cidade

O primeiro trem do Veículo Leve sobre Trilhos Carioca está estacionado na Rua Luís Mendes de Moraes, próximo à Rodoviária Novo Rio e ao lado do Terminal Padre Henrique Otte, no Santo Cristo. O prefeito Eduardo Paes apresentou no domingo, 5 de julho, a primeira composição a chegar à cidade, na sexta-feira, dia 26 de junho. O trem encabeça a lista dos 32 veículos encomendados para o sistema de 28 Km em trilhos. Os trens começarão a circular no primeiro semestre de 2016, permitindo a interligação da Região Portuária ao Centro de forma mais rápida, segura e sustentável.

Primeiro VLT Carioca, estacionado sob trilhos na Rua Luís Mendes de Moraes

Com design inovador, concebido de forma a reduzir o impacto visual, promove harmonia e integração das composições ultramodernas às construções históricas de boa parte do trajeto. Na área interna do veículo, predominam as cores verde e azul, em homenagem à paisagem da cidade do Rio de Janeiro. “O VLT representa a libertação do Centro, eliminando essa confusão de ônibus e, aos poucos, devolvendo qualidade de vida para quem mora na região. Ele será integrado às barcas, aos trens, ao metrô e aos BRTs. Além de representar a volta do bonde, que sempre foi uma marca do Rio”, comemorou Paes. O inovador sistema de fornecimento de energia APS (alimentação pelo solo) fará com que o Rio de Janeiro seja a segunda cidade do mundo a ter um VLT em operação totalmente livre de catenárias, cabos aéreos de captação da energia elétrica.

Testes e chegada de mais VLTs até o fim do ano

Visão interna vlt

O veículo passará por testes mecânicos e operacionais em período de três a quatro meses, em duas etapas: estática e dinâmica. Cada veículo tem 3,82 metros de altura, 44 metros de comprimento por 2,65 metros de largura, com capacidade para 420 passageiros. Os trens serão bidirecionais e equipados com oito portas por lateral. Este VLT é o primeiro de uma série de cinco unidades fabricadas na França que chegarão ao Rio até o fim do ano. Os outros 27 carros estão em produção no Brasil por meio de acordo de transferência de tecnologia e serão entregues ao longo de 2016.

Planta do vlt, visão lateral
Planta do vlt, visão superior

Planta do trem do VLT Carioca

Sistema VLT
O primeiro trecho do VLT terá como eixo principal a ligação entre a Rodoviária Novo Rio e o Aeroporto Santos Dumont. O segundo fará a interligação entre a Central do Brasil e a Praça XV (veja mapa). Uma das principais características do projeto é a integração da rede de transportes públicos do Rio de Janeiro. Usuários de barcas, trens, metrô, ônibus, BRTs, Teleférico do Morro da Providência e Aeroporto Santos Dumont poderão acessar de forma rápida diferentes pontos da cidade.

Quando as linhas estiverem em operação 24 horas por dia, a capacidade do sistema chegará a 300 mil passageiros por dia. Cada veículo do VLT Carioca trafegará com velocidade média de 17 km/h e transportará até 420 passageiros. Cada composição Os intervalos entre um trem e outro poderão variar entre três e 15 minutos, de acordo com a linha, demanda e horário.

O pagamento será por cartões validados pelo próprio passageiro em máquinas instaladas no interior do veículo, sistema inédito no País. Bilhetes permitirão a integração desse modal às politicas de tarifação e integração vigentes no Estado e no Município do Rio de Janeiro.

A concessão patrocinada para a prestação de serviços de transportes a partir da implantação, operação e manutenção do sistema nas regiões portuária e central da cidade tem prazo de 25 anos. O novo meio de transporte recebe investimento de R$ 1,157 bilhão, sendo R$ 532 milhões com recursos federais do Programa de Aceleração do Crescimento da Mobilidade (PAC 2)  e R$ 625 milhões viabilizados por meio de Parceria Público-Privada (PPP) da Prefeitura do Rio.

Fotos: J.P. Engelbrecht

Tags: