Turista é bom negócio

Social, Cultural | 15/03/2017

A Região Portuária entrou definitivamente na rota do turista do Rio de Janeiro, que dedica um dia de sua passagem pela cidade à área revitalizada. O perfil do visitante na maior parte do ano é masculino e casado. Na alta temporada, todos gastam mais, brasileiros e estrangeiros, e verifica-se maior número de turistas da menor faixa de renda e com Nível Médio. Na baixa temporada há uma inversão, com a chegada de mais turistas com Nível Superior e maior renda. Os dados são da Pesquisa de Percepção Turística do Projeto Sebrae no Porto, parceria entre a Prefeitura do Rio e o Sebrae/RJ, e vão ajudar a melhorar os negócios para quem está de olho nos novos frequentadores da área. 
Pesquisadores foram a campo em três ocasiões durante 2016: na alta temporada (fevereiro), na baixa temporada (junho) e no período dos Jogos Olímpicos Rio 2016 (agosto). O objetivo era identificar o perfil dos visitantes e usuários de produtos e serviços da Região Portuária, permitindo análises sobre o consumo e indicações do grau de satisfação. 
Visitantes classificaram o atendimento durante os Jogos Rio 2016 como o mais satisfatório.  “Na alta temporada, os atendimentos são bem avaliados, mas não chegam a se destacar no nível mais alto de satisfação. A baixa temporada equilibra os níveis de satisfação de atendimento, sendo os meios de hospedagem os que somam os melhores índices”, aponta o relatório do Sebrae/RJ.


 
A pesquisa serve como balizador para que os empreendedores adotem políticas de potencialização dos negócios. “Nós acreditamos no potencial turístico da região, que pode gerar novos negócios, emprego e renda para atuais e futuros moradores e empreendedores”, avalia o gerente de Desenvolvimento Econômico e Social da Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto do Rio de Janeiro (Cdurp), Rilden Albuquerque. 
Para o diretor-superintendente do Sebrae/RJ, Cezar Vasquez, “a análise da percepção dos turistas é fundamental para que os empresários possam profissionalizar a gestão e direcionar suas ações e seus investimentos no aperfeiçoamento dos seus negócios”. 
Moradora de Niterói, a professora aposentada Regina Vitória, 71 anos, visitou a região pela primeira vez na inauguração do Museu do Amanhã. “Voltei para conhecer o Boulevard Olímpico e fui conquistada. É fácil vir de VLT ou a pé. Os museus são muito bons, e a área de passeio é linda. Poderiam oferecer atividades permanentes também nos armazéns, além dos shows e eventos. Com restaurantes e lojas abertas até mais tarde, aposto que não faltará movimento”, sugere Regina.

Regina conheceu o Porto Maravilha na inauguração do Museu do Amanhã: “Volto sempre”