Prefeitura do Rio comemora dois anos de operação do VLT que registrou mais de 23 milhões de passageiros transportados

| 07/06/2018

Sistema teve mais de 200 mil viagens no período

O VLT Carioca completou nesta terça-feira, 5 de junho, dois anos de circulação no Centro e Região Portuária do Rio. O sistema implantado pela Prefeitura do Rio soma cerca de 23 milhões de passageiros transportados em mais de 200 mil viagens no período. Atualmente, há duas linhas e 26 paradas em operação.


Veículo Leve sobre Trilhos na Praça da Harmonia

Nesses dois anos, o sistema soma mais de 1 milhão de quilômetros rodados, com média atual de 70 mil km/mês. As paradas de maior movimento confirmam a intenção integradora do projeto. Central (trens, metrô e ônibus), Colombo (integração VLT+VLT) e Cinelândia (metrô) representam 30% do fluxo de passageiros.
Há um ano, cerca de 35 mil pessoas andavam de VLT diariamente. Hoje, o número é de aproximadamente 65 mil, um crescimento de 85%. Desse total de público, 70% utilizam o sistema para deslocamentos relacionados ao trabalho, segundo dados do Datafolha. Para a maioria dos usuários, o VLT é também um transporte de uso frequente, entre quatro a sete vezes por semana.
Com mais de 70 atrações turísticas entre museus, teatros, centros culturais e prédios históricos no entorno das duas linhas em operação, o VLT tornou-se ainda um incentivo para conhecer áreas históricas como a Cinelândia e a Praça Tiradentes. O mesmo vale para o Boulevard Olímpico, novo polo de eventos da região que concentra atrações como os museus de Arte do Rio e do Amanhã, além do AquaRio. A Parada dos Navios, por exemplo, chega a ter aumento acima de 30% no fluxo quando há eventos na orla. Já às terças-feiras, quando os museus têm entrada gratuita, o movimento na linha 1 chega a crescer em até 6%.
O sistema cresceu sem perder o conceito de transporte sustentável. Com o VLT em circulação, são cerca de 46 mil veículos a menos nas ruas do Rio todos os dias, considerando a taxa de ocupação de veículos em 1,4 passageiros. Além disso, movido a energia elétrica, o VLT reforça seu modelo ao adquirir a energia para a operação de fontes renováveis. Com isso, só em 2017, a concessionária deixou de emitir mais de 700 toneladas de carbono na cadeia de produção.  
Esse período representa também a consolidação do modelo de pagamento sem catracas ou cobradores. Cariocas e visitantes mantém o respeito ao sistema, e a taxa de evasão segue inferior a 15%. Para aumentar as opções de serviço, a concessionária instalou nas paradas e estações terminais de consulta que permitem verificação de saldo, desbloqueio de cartões e liberação de recarga. Além disso, o processo de compra nos terminais de autoatendimento agora tem opção trilíngue (português, inglês e espanhol). 
Em obras, a linha 3 ligará a Central do Brasil ao Santos Dumont via Marechal Floriano com três novas paradas. O trecho entra em operação até o fim do ano. Serão mais opções para circular no Centro com o VLT Carioca.