Linha 2 do VLT Carioca amplia horário de operação e inicia cobrança de passagem na quarta-feira dia 24

Mobilidade | 19/05/2017

Circulação dos trens entre a estação Saara e Praça XV será das 6h à meia-noite e o valor da tarifa, R$ 3,80. Conexão com a Linha 1 se dará nas paradas Colombo e Sete de Setembro na Avenida Rio Branco
A prefeitura do Rio de Janeiro informa que o Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) ampliará o horário de funcionamento na Linha 2 do VLT Carioca (Saara-Praça XV),  que liga a Praça da República à Praça XV,  na próxima quarta-feira, dia 24. O sistema passa a operar das 6h à meia-noite, como na Linha 1 (Rodoviária-Aeroporto Santos Dumont). O trecho estava em operação assistida, transportando os passageiros gratuitamente desde janeiro. Com o início da operação comercial, o serviço iniciará a cobrança da passagem, que custa R$ 3,80, mesma tarifa da Linha 1, com validação no interior dos trens e compra e recarga disponível nas paradas.

Com duas linhas em operação, o usuário poderá fazer a transferência entre elas no período de 1 hora sem nova cobrança. Caso o passageiro precise usar novamente o trem no mesmo sentido, também poderá fazê-lo sem pagar durante esse limite de tempo. Se houver mudança de sentido na mesma linha, será cobrada outra passagem, mesma dinâmica adotada no trecho entre rodoviária e aeroporto. Para fazer a troca entre as linhas, o ideal é utilizar as paradas Sete de Setembro (linha 1) e Colombo (linha 2), que ficam a poucos metros de distância nos arredores da Avenida Rio Branco. Importante sempre validar o cartão para garantir que o período de integração siga vigente, mesmo no segundo embarque.
O Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) tem integração tarifária também com ônibus municipais, de modo que é possível pegar dois ônibus e na sequência o VLT ou vice-versa e pagar apenas R$ 3,80, desde que dentro do tempo de uso do bilhete único. O usuário de cartões RioCard com saldo e válidos no município do Rio (incluindo Bilhete Único Carioca e Bilhete Único Intermunicipal) pode embarcar e validar o cartão em um dos 28 validadores disponíveis em cada trem. Para quem precisa comprar ou recarregar, todas as paradas têm máquinas de recarga.
Na aquisição de um novo cartão, R$ 3 do valor inserido são cobrados pelo "casco". O cartão é recarregável e aceito em ônibus, trens, metrô e barcas. As máquinas aceitam dinheiro (cédulas e moedas) e cartões de débito Visa, Mastercard ou Elo. Os terminais não dão troco, mas o valor carregado é revertido em créditos. A recarga também pode ser feita pelo site Recarga Fácil (recargafacil.riocard.com) ou nas lojas e pontos credenciados pela RioCard.

A concessionária manterá agentes de bordo nas paradas Saara, Tiradentes, Colombo e Praça XV que vão fornecer informações e orientação aos passageiros. Cada usuário deve ter o próprio cartão. Não é possível validar a passagem para mais de uma pessoa no VLT no mesmo cartão. Todas as composições contam com agentes da concessionária que atuam em parceria com a Guarda Municipal em ações de fiscalização. Passageiro que não validar a passagem está sujeito à multa de R$ 170, de acordo com a Lei Municipal 6.065/2016. O valor aumenta para R$ 255 em caso de reincidência (multa mais 50%).
A gratuidade no VLT Carioca está assegurada de acordo com a legislação. Pessoas com mais de 65 anos devem validar com o RioCard Sênior ou apresentar documento de identidade, caso solicitado. Crianças com menos cinco anos não precisam de cartão, como nos demais sistemas de transporte público do Município do Rio. Passageiros nas seguintes condições devem obrigatoriamente validar o cartão: Alunos da rede pública de ensinos Fundamental e Médio do Rio de Janeiro (uniformizados) e portadores do cartão de gratuidade para estudante; estudantes de universidades portadores do Passe Livre Universitário; pessoas com deficiência e acompanhantes legalmente  autorizados; e doentes crônicos e acompanhantes legalmente autorizados.
Sobre o VLT - O Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) ligará Centro e Região Portuária em 28 Km e 31 paradas. O projeto fortalece o conceito de transporte público integrado ao conectar metrô, trens, barcas, teleférico, BRTs, redes de ônibus convencionais e aeroporto (Santos Dumont). Com funcionamento das 6h às 24h , quanto o sistema estiver totalmente implantado, terá capacidade de transportar 300 mil passageiros por dia.