Canteiro da Praça Mauá integra exposição do MAR

Cultural | 19/09/2017

Um canteiro em frente ao Museu de Arte do Rio (MAR), na Praça Mauá, ganhou status de obra de arte. Parte da exposição Dja Guata Porã, em cartaz no espaço, a Estação Natureza, uma das cinco que compõem a mostra, é uma parceria com a Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto do Rio de Janeiro (Cdurp). Índia convidada, Niara do Sol optou por uma pequena horta com ervas, hortaliças e plantas medicinais que compõem não apenas a alimentação dos indígenas mas também  servem à cura de males que atingem a todos nós, como dores de cabeça e corporais.
Niara do Sol toma conta das plantas da Estação Natureza, em frente ao MAR
Niara mantém horta parecida no Morro de São Carlos, no Estácio. Ela se dedica diariamente à manutenção da Estação Natureza. Além de cuidar das plantas, ministra oficinas e tira dúvidas de quem passa por ali para conhecer e se surpreende com a horta em pleno centro do Rio.
Exposição Dja Guata Porã
Em cartaz até o dia 18 de fevereiro de 2018, “Dja Guata Porã | Rio de Janeiro indígena”  conta a história do estado do Rio como história indígena com curadoria de Sandra Benites, José Ribamar Bessa, Pablo Lafuente e Clarissa Diniz. Criada para ser uma experiência participativa  a partir da colaboração de povos, aldeias e indígenas que moram no estado ou na capital carioca, a exposição surgiu de diálogo conduzido entre 2016 e 2017 pela equipe de pesquisa, curadoria e educação do MAR. Por meio de encontros abertos ao público, no museu e nas aldeias envolvidas, a mostra foi construída como uma plataforma de colaboração entre práticas museológicas e indígenas.
Dja Guata Porã é dividida em diversos núcleos que contam com obras, vídeos, fotografias e outros dispositivos criados pelos indígenas para a exposição.  Documentação e iconografia histórica sobre algumas das mais importantes questões dessa história ajudam a traçar uma grande linha do tempo que contextualiza conceitos, períodos e acontecimentos enquanto quatro núcleos lançam luz sobre povos e indígenas que hoje habitam o estado do Rio: os Guaranis, os Puris, os Pataxós e os indígenas que moram em contexto urbano, a exemplo da Aldeia Maracanã. Ao mesmo tempo, cinco estações concebidas com a colaboração de Josué Kaingang, Eliane Potiguara, Anari Pataxó, Niara do Sol e Edson Kayapó apresentam temas que atravessam épocas e povos: educação, comércio, arte, natureza e mulher.
Com informações do portal do Museu de Arte do Rio | Foto: Bruno Bartholini