Cdurp coordena manutenção no Cais do Valongo

Obras | 27/07/2017

Reparo de bomba envolveu equipes da Seconserma, Comlurb e Rio Águas, que dão apoio à Região do Porto Maravilha desde 5 de julho

Uma das três bombas submersas que fazem a drenagem no Cais do Valongo parou de funcionar na terça-feira, 25 de julho, em decorrência de um curto-circuito. Assim que detectou acúmulo de água, a Companhia de Desenvolvimento Urbano de Região do Porto do Rio de Janeiro (Cdurp) solicitou à Secretaria de Conservação e Meio Ambiente (Seconserma) a utilização de bomba externa para retirada emergencial dos cinco centímetros de água acumulada em alguns pontos. A bomba externa ficou ligada até a finalização do reparo na quarta-feira à tarde, com a compra e substituição da bomba pela Cdurp.


Bomba comprada para substituir uma das três que fazem a drenagem no Cais

Recém-declarado Patrimônio Cultural da Humanidade pela Unesco, o Cais do Valongo tem área abaixo do nível do mar, o que exige sistema de drenagem 24 horas por dia para prevenir inundação. A Cdurp coordena o trabalho de limpeza e manutenção do sítio arqueológico que inclui capina, lavagem e drenagem com bombeamento. A Comlurb lava o espaço todas as manhãs a partir das 7h e mantém seis garis, dois por turno, para garantir a limpeza durante o dia.


Cais do Valongo na manhã de quinta-feira, com o serviço já concluído

SERVIÇOS NA REGIÃO PORTUÁRIA

Desde o dia 5 de julho, a Concessionária Porto Novo interrompeu temporariamente a prestação de serviços públicos municipais na área do Porto Maravilha. Com a decisão, a Cdurp, empresa da Prefeitura do Rio gestora do Porto Maravilha, acionou a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Conservação (Seconserma), a Companhia Municipal de Limpeza Urbana (Comlurb), a Rio Águas, a Rio Luz e a Companhia de Engenharia de Tráfego do Rio de Janeiro (CET-Rio) para  a continuidade dos serviços e da manutenção na área de 5 milhões de metros quadrados.

Fotos: Bruno Bartholini