VLT Carioca é do Rio

Obras, Mobilidade, Social, Cultural | 05/06/2016

  • Titulo da Imagem

    VLT circula pela Av. Rio Branco / Foto: J.P. Engelbrecht

  • Titulo da Imagem

    Acesso do VLT ao Aeroporto SantosDumont / Foto: J.P. Engelbrecht

  • Titulo da Imagem

    Passagem pela Praça Mauá / Foto: J.P. Engelbrecht

  • Titulo da Imagem

    Primeiro dia de operação do VLT / Foto: J.P. Engelbrecht

  • Titulo da Imagem

    Vagão João do Rio circula pela Orla Conde / Foto: J.P. Engelbrecht

  • Titulo da Imagem

    População fotografa passagem do VLT pela Praça Mauá / Foto: J.P. Engelbrecht

  • Titulo da Imagem

    Novo passeio público da Av. Rio Branco / Foto: J.P. Engelbrecht

O VLT Carioca foi inaugurado no domingo, 5 de junho, dia nublado e com chuva mas, que não intimidou a população que veio de diversos cantos da cidade para conhecer e andar no novo meio de transporte do Rio. Recebido com festa e muito samba, o bonde fez a viagem inaugural da Parada dos Museus, próximo à Praça Mauá, à Parada Carioca, na Avenida Rio Branco. O prefeito Eduardo Paes descerrou as placas de inauguração do Veículo Leve sobre Trilhos e do novo Passeio Público da Avenida Rio Branco ao som das baterias das escolas de samba Mangueira, Portela e Vizinha Faladeira.


Com roda de samba e presença de integrantes da Velha Guarda de várias escolas de samba do Rio, o prefeito Eduardo Paes inaugurou o VLT Carioca neste domingo

O prefeito destacou que o serviço não era um compromisso olímpico, mas é uma das obras de legado que a Prefeitura do Rio entregou à cidade. “A prefeitura foi além do prometido. Mas o importante é que essa não é uma obra para os Jogos Olímpicos, mas para o Rio. O VLT muda a lógica do transporte no Centro. Integra todos os modais”, explicou.
A inauguração do VLT trouxe à Praça Mauá pela primeira vez o casal Rodrigo Pereira e Camila Vargas, com filha Marina, 3 anos. “Soubemos da inauguração e viemos conhecer a área. Pretendemos ir ao Museu do Amanhã e ao Museu de Arte do Rio (MAR). Gostamos muito. Está muito bonito”, disse Rodrigo, enquanto a família almoçava em um dos quiosques do Movimento Sabores do Porto, formado por quituteiras dos morros do Pinto e da Providência.
Moradoras de Madureira, Cristiane Lima e Emily, 10 anos, saíram cedo de casa e garantiram o passeio de ida e volta no primeiro bonde que partiu da Parada dos Museus até o Aeroporto Santos Dumont. “Soube pelo jornal e me programei para conhecer. Peguei um ônibus e depois o metrô. Valeu a pena”, comentou Cristiane. “Nós queremos ir de novo”, disse Emily, que tirou muitas fotos do VLT. “Eu já tinha vindo ao Centro e vi o VLT passando. Gostei muito de andar nele. Agora, vamos voltar até a Cinelândia para pegar o metrô de volta”, comemorou.

Rodrigo, Camila e a pequena Marina decidiram conhecer a nova Praça Mauá no dia da inauguração do VLT

O VLT Carioca inicia a operação de forma progressiva. De acordo com o planejamento da prefeitura, o avanço da operação em ciclos tem como objetivo fazer com que a população se acostume ao movimento de circulação dos bondes. A prioridade é garantir segurança plena aos futuros passageiros e melhor convívio entre pedestres, veículos e VLT. A cada ciclo, gradativamente, horário e trajetos da operação serão ampliados e novos bondes entrarão no sistema.
Presidente da Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto do Rio de Janeiro (Cdurp), Alberto Silva comemorou a inauguração e lembrou que a etapa dois, Central-Barcas, está na reta final das obras. “No segundo semestre vamos entregar a etapa dois do VLT, que complementa o traçado e a função integradora. O VLT terá 28 Km conectando todos os meios de transporte do Centro e da Região Portuária. Barcas, metrô, trem, ônibus, rodoviária, aeroporto, teleférico, terminal de cruzeiros marítimos e o BRT Transbrasil. No ano que vem, será a vez do trecho da Avenida Marechal Floriano ”, esclarece.
  
Emily e a mãe, Cristiane, saíram de Madureira e fizeram a viagem no primeiro bonde. Aprovaram e repetiram a dose
A primeira etapa, Rodoviária Novo Rio – Aeroporto Santos Dumont, terá 18 Km em trilhos, 17 paradas e uma estação. A ligação entre a Central do Brasil e a Praça XV entra em operação no segundo semestre. A previsão é a de que o primeiro trecho do sistema entre em operação comercial no dia 1º de julho. A partir de 2017, entrará em operação o trecho na Avenida Marechal Floriano. 
Inicialmente, o VLT transportará passageiros de segunda a sexta-feira, das 12h às 15h, com embarque e desembarque em oito paradas nos dois sentidos: Parada dos Museus, São Bento, Candelária, Sete de Setembro, Carioca, Cinelândia, Antônio Carlos e Santos Dumont. O secretário executivo de Coordenação de Governo, Rafael Picciani, explicou que no primeiro mês os passageiros não precisarão efetuar o pagamento do VLT. Os agentes da concessionária vão tirar dúvidas dos passageiros. “A população vai aprender a usar o VLT,  a respeitar o VLT. A partir de 1º de julho começaremos a operação comercial. O VLT é interessante por ser o mais integrador dos modais e será responsável por uma mudança de hábito dos cariocas”, avaliou. O secretário destacou a importância da campanha educativa de segurança para que os pedestres e motoristas aprendam a conviver com o novo modal.  No período de testes, o programa distribuiu 50 mil adesivos, 250 mil folhetos e instalou 22 painéis e displays ao longo do Centro e Região Portuária. Nesta nova etapa, mais 200 mil folhetos serão distribuídos nas ruas do eixo de passagem. 
Características do sistema
O VLT servirá aos usuários dos diversos sistemas de transporte públicos e distribuirá passageiros nas regiões que compõem a área central da cidade. Na operação plena, funcionará 24 horas com 32 trens, capacidade para transportar 300 mil pessoas e máquinas de autoatendimento para a compra de bilhetes em todas as paradas e estações. Condutores e controladores responsáveis por guiar as composições acumulam desde o ano passado mais de 2 mil horas de treinamentos teóricos, no simulador e habilitação em via. Ao todo, serão 130 profissionais habilitados até o fim de 2016.
As estações e paradas do VLT ficam a cerca de 20 cm de altura, niveladas às composições, dotadas de rampas suaves e antiderrapantes que facilitam o acesso de pessoas portadoras de necessidades especiais. Cada plataforma disporá de entrada nas extremidades, linha de piso podotátil e faixas em alto relevo que facilitam a locomoção de pessoas com deficiência visual. Internamente, todas as composições reservam local específico para cadeirantes sem prejuízo a outros assentos. Sinalização, validadores e acionamento de portas estarão sempre em alcance adequado.
Integrado à operação urbana Porto Maravilha, o VLT Carioca será um modelo sustentável de transporte. Movido à eletricidade, preserva a identidade do Rio ao oferecer a opção de Alimentação Pelo Solo (APS), com energia captada por meio de um terceiro trilho instalado entre os trilhos de rolamento do trem, dispensando o uso de fiação aérea (catenárias). A implantação do VLT tem custo de R$ 1,157 bilhão, sendo R$ 532 milhões com recursos federais do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) da Mobilidade, e R$ 625 milhões viabilizados por meio de uma parceria público-privada (PPP) da Prefeitura do Rio.
Revitalização da Rio Branco
O novo Passeio Público da Avenida Rio Branco alterou uma das avenidas mais movimentadas do Centro, entre a Avenida Nilo Peçanha e a Rua Santa Luzia e abrange 14,4 mil metros quadrados, dos quais 9 mil m² de área de convivência ao longo de seus 600 metros. O local ganhou 35 árvores, 1.620 m² em canteiros verdes, bicicletários, 70 bancos e nova iluminação pública. A área de grande movimento passa a oferecer aos frequentadores do Centro espaço revitalizado de circulação exclusiva para pedestres, ciclistas e para o VLT ao longo do caminho cercado de prédios históricos como o Theatro Municipal, o Museu Nacional de Belas Artes e a Biblioteca Nacional.