Prefeitura entrega Praça dos Expedicionários com nova urbanização

Social, Cultural | 16/01/2016

O Rio de Janeiro e o Centro Histórico ganham mais uma área revitalizada pelas obras do Porto Maravilha. Neste sábado (16.01), a Prefeitura do Rio, por meio da Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto do Rio de Janeiro e da Secretaria Municipal de Conservação, devolve à população a Praça dos Expedicionários, na Avenida Presidente Antônio Carlos, ao lado do Tribunal de Justiça. Após quatro meses de obras, o espaço de 13 mil metros quadrados (m2) foi totalmente restaurado e ganhou nova urbanização, com a recuperação de monumentos e do calçamento de pedras portuguesas, área verde, 16 bancos, 12 lixeiras e implantação de rede de iluminação com 26 postes.

Neste mesmo dia, outra área do Centro Histórico também passará por um marco. A Avenida Rio Branco será interditada ao trânsito entre a Avenida Nilo Peçanha e a Rua Santa Luiza. Esta é mais uma etapa das obras de revitalização da região que ganhará um novo Passeio Público. O trecho de 600 metros será transformado em área exclusiva para pedestres, ciclistas e para a passagem do Veículo leve sobre Trilhos (VLT). A nova configuração da Avenida Rio Branco será numa área de grande movimentação cultural, valorizando imóveis importantes como o Museu Nacional de Belas Artes, o Theatro Municipal, a Biblioteca Nacional, o Centro Cultural da Justiça Federal, Cine Odeon e o Palácio Pedro Ernesto.

Monumentos restaurados

As obras de reurbanização da Praça dos Expedicionários, executadas pela concessionária Porto Novo, contaram com restauradores e profissionais especializados em calçamentos de pedras portuguesas. Para recuperar o calçamento foram necessários 2.500 m2 do material. A nova área verde, de 1.900 m2, recebeu diversas espécies, como o arbusto florífero lantana e as gramas esmeralda e amendoim, mais resistentes e que exigem menos manutenção.

Um dos monumentos restaurados, o obelisco com estátua do Barão do Rio Branco, obra de Felix Charpentier inaugurada em setembro de 1943, é uma reprodução da peça original do Palácio do Itamaraty. No obelisco está gravado o mapa do Brasil com fronteiras delineadas pelo Barão, esculpido em bronze, à frente do monumento. A Cascata dos Deuses, de autor e data desconhecidos, também foi restaurada. Os dois conjuntos receberam limpeza completa, com remoção de pichações, fuligem e oxidação, além da aplicação de verniz para garantir maior durabilidade do metal.

A área e o entorno da Praça dos Expedicionários são de grande importância histórica, paisagística e cultural para a cidade. Na região, próximo à Praça XV e ao antigo Morro do Castelo, teve início o desenvolvimento da cidade no Brasil Colônia, com marcos importantes durante o Reinado de Dom João VI, o Império e a Independência do país. A Ladeira da Misericórdia, a Igreja de Nossa Senhora do Bom Sucesso, o Museu Histórico Nacional, a Santa Casa de Misericórdia e o Museu da Imagem e do Som são alguns dos bens tombados da vizinhança.